sim, sim, sim

ao vinho, à poesia, à virtude!

“É preciso estar constantemente embriagado. Eis aí tudo: é a única questão. Para não sentirdes o horrível fardo do Tempo que rompe os vossos ombros e vos inclina para o chão, é preciso embriagar-vos sem trégua. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa maneira. Apenas embriagai-vos. E se, alguma vez, nos degraus de um palácio, sobre a grama verde de um precipício, na solidão morna do …vosso quarto, vós acordardes, a embriaguez já diminuída ou desaparecida, perguntai ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que foge, a tudo que geme, a tudo que anda, a tudo que canta, a tudo que fala, perguntai que horas são; e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio, responder-vos-ão: ‘É hora de embriagar-vos! Para não serdes os escravos martirizados do Tempo, embriagai-vos: embriagai-vos sem cessar! De vinho, de poesia ou de virtude, à vossa maneira’.”
Do poeta Charles Baudelaire (copiado do status do face de uma amiga)
Boa semana para você que passa por aqui!
Anúncios

3 comentários sobre “sim, sim, sim

  1. Que lindo Paty! Embriaguemo-nos! Mas pelos acontecimentos recentes causados pela embriaguez alheia eu tô mais para aquela da poesia e da virtude… grande beijo querida

    Curtir

Os comentários estão desativados.