conselho da singer

em um manual de 1949…

Preciso compartilhar.

Tradução (livre), grifos meus (rs):

” Se prepare mentalmente para costurar. Pense sobre o que vai costurar… nunca inicie a costura se houver em você algum sinal de falta de interesse. Bons resultados são difíceis quando a indiferença predomina.

Nunca tente costurar com a pia cheia de pratos sujos ou camas por fazer. Quando tarefas domésticas urgentes existirem, complete-as primeiro, para que sua mente esteja livre para se deleitar com a costura. Quando costurar, esteja tão atraente quanto possível. Vista um vestido limpo. Mantenha uma bolsinha cheia de talco perto de sua máquina para passar em seus dedos a intervalos de tempo. Tenha o cabelo em ordem, passe pó compacto e batom. Se você estiver constantemente temendo que uma visita apareça de repente ou que seu marido volte para casa, e você não estiver elegante, você não vai se divertir com sua costura.”

Sempre esqueço de verificar a “condição” da pia, nunca pensei em usar um vestido nesta ocasião e, seriously? BATOM? Acho que é por isso que não ando me divertindo muito com as costurinhas…

Muito bom!!!!

Anúncios

20 comentários sobre “conselho da singer

  1. Fabuloso!!! E apesar de toda incredulidade humana sobre assuntos assim “tão antigos” ( ! ) eu creio que é esse um dos segredos de se costurar com prazer! Aliás, não apenas costurar, mas qualquer outra atividade que temos que executar, tendo coisas da casa ainda por fazer, com certeza a cabeça vai estar coxeando entre as duas tarefas… nem lá nem cá… aprendi isso com uma irmãzinha preciosa da minha igreja, que disse numa reunião um dia: Jamais venha para a igreja e deixe sua casa desarrumada, pia cheia de pratos por lavar, roupa por passar, etc… Mas tbem não deixe de vir à igreja por causa das tarefas de casa! Programe-se! Mantenha uma rotina de tal forma, que todos os dias, sempre sobre um tempinho prá você!” Desde esse dia, procuro sempre não me perder em mil e uma tarefas ao mesmo tempo! E procuro sempre estar arrumada em condições de, pelo menos, atender à campainha! Adorei esse post! E os sábios conselhor de 1949! Faz diferença SIM!
    bjs! *Ü*

    Curtir

  2. Antes eu tinha uma leve impressão, agora é certeza: realmente eu nasci na época errada! kkkkkkkkkkkk
    Juro… eu faço quase tudo isso! Não consigo ir para as costuras se a casa estiver desarrumada. Louça na pia, então… não rola! rs.
    E quase sempre eu me arrumo, sim!
    Claro que não como se eu fosse ir para uma festa, etc… mas ajeito os “rebeldes enrolados” (cabelos) e visto uma roupa confortável………….Tá tá tá, eu passo um brilho de leve; e um rimelzinho não mata ninguém, né? [abafa] kkkkkkkkkkkkkk
    Adoreiiii o post e o seu blog!
    Abraços♥

    Curtir

  3. Por incrível que pareça,esses dias li no blog do Tanlup como enfrentar a maratona de trabalhar em casa,fala sobre isso,vestir-se pra trabalhar,confesso que me vi tentada a continuar desarrumada,mas,tive três dias seguidos,sempre depois do almoço visitas surpresas pra visitar meu ateliê e comprar minhas bolsas,a curiosidade das visitas tem sido por ver o ambiente,a produção,achei bem interessante seguir esse ritual,agora faço minhas tarefas de casa e depois me arrumo sim,tem uma sandália do lado da mesa de corte,assim quando alguém chama,dá tempo de dizer que estou indo e vou pegar as chaves,pois fico no andar de cima :).E assim fico satisfeita comigo mesma e pronta pra qualquer emergência,rsrsrs.

    Curtir

    • Bom dia, Adriana. E obrigada pela visita… Estou gostando muito dos comentários que surgem a cada dia a partir desse texto escrito em 1949. E fico aqui pensando como o contexto em que cada um vive essa relação com a costura e com as tarefas domésticas pesam para o que esse texto diz para cada uma. Concordo que para alguém que faz de sua casa também o seu local de trabalho, o texto pode ir de encontro com uma necessidade que acredito existir: tornar sua casa também um local reconhecido pela função de ateliê, loja, escritório. Manter a casa em ordem e se produzir para um dia de trabalho, para receber clientes, faz todo o sentido. Eu, por outro lado, tenho na costura um hobbie. Estou montando um ateliê em casa para ter um espaço onde minha bagunça criativa pode existir sem estar no caminho de ninguém. Quando li esse texto me pareceu cômico, do ponto de vista de alguém que pode justamente querer fugir das atividades domésticas no ateliê, de pijamas… 🙂 boa semana!!

      Curtir

Os comentários estão desativados.